Desmistificando os peelings

Quando o friozinho vem chegando, aumentam com ele os assuntos e a procura por peelings. Mas você sabe o que é um peeling? Muitas pessoas ficam na dúvida de quais benefícios esse tipo de tratamento pode trazer para a pele. Como eles funcionam e por que só nesta época do ano? As dúvidas são diversas. Vamos então aos esclarecimentos sobre este assunto!

Os chamados peelings são produtos que contêm em sua composição ácidos ou outros ativos que promovem a renovação celular, ou seja, eles têm o poder de retirar as células mortas que estão depositadas na superfície da pele, promovendo o afinamento dela, principalmente aquelas células que muitas vezes estão com uma coloração mais escura, formando as terríveis manchas que nos incomodam bastante, não é mesmo?

Os peelings possuem algumas classificações. Há os peelings  superficiais, que removem as células como se elas fossem escamas e que não prejudicam a barreira de proteção da pele. Ao fazer essa remoção de células, o tratamento também vai estimular a pele para produzir novas células, que é o chamado processo de renovação celular. Os peelings também se classificam em médios e profundos, os quais são realizados por médicos. Esses procedimentos são mais agressivos e precisam também de alguns cuidados após a sua realização, exigindo um tempo sem pegar sol. A recomendação é realizar esse tipo de peeling no inverno, quando a incidência dos raios solares é menor.  Antigamente era muito comum fazer esses peelings, e achava-se que os peelings superficiais não eram eficientes, por isso que o inverno ficou sendo conhecido como a melhor época para realizar esse tipo de tratamento. Mas novos estudos e novos produtos foram sendo desenvolvidos, e hoje é possível sim ter ótimos resultados com peelings superficiais e ainda há uma grande vantagens, pois eles não causam efeito rebote. Você já ouviu alguém falar que fez peeling e que a pele ficou linda, perfeita, mas depois de alguns meses as manchas voltaram? Pois é, esse é o chamado efeito rebote e pode acontecer se os cuidados pós-peeling profundo forem ignorados ou dependendo de quão agressivo foi o peeling realizado.

Voltando aos peelings superficiais, eles podem ser do tipo  mecânico, agindo  devido ao atrito físico das partículas do produto com a pele. Podem ser químicos, agindo por meios de ácidos que esfoliam a pele quimicamente. Ou, ainda, podem ser enzimáticos, que promovem o afinamento da pele devido à reação de enzimas que entram em contato com a pele e degradam as células mortas e a gordura depositada.

Ufa, ficou mais claro agora? Bom, mas você pode estar se perguntando, para que serve afinal o peeling superficial? Essa é uma pergunta muito legal de responder, porque os benefícios desse tratamento são muitos. Os peelings superficiais têm múltiplas funções dependendo do tipo de ácido ou do ativo que o produto contém. Mas, de uma maneira geral, eles promovem o rejuvenescimento e, na sua maioria, estimulam a renovação celular, melhorando a vitalidade das células, deixando a pele mais iluminada, clara e com tom uniforme, diminuem rugas e linhas de expressão, controlam a oleosidade, entre outros benefícios. Isso tudo acontece por estimular as células a realizarem as suas funções adequadamente. Se compararmos as células com o nosso ciclo de vida, fica bem evidente, quer ver? Imagine que uma célula renovada seja como uma criança, cheia de energia, que corre, brinca, come, brinca de novo,e a energia continua ali, firme e forte. Quem é mãe sabe do que estou falando! E a célula envelhecida é como a gente quando começa a ter mais idade, a vontade de fazer as atividades diárias vai diminuindo, ficando mais lenta, normalmente vamos perdendo o apetite, a nutrição e o controle do peso já são mais dificultadas, enfim, com as células da pele acontece a mesma coisa, elas vão perdendo a vitalidade e ficando mais fracas, o que provoca flacidez, rugas e manchas. Os peelings seriam como uma recarga de energia para a pele, fazendo a troca das células que estão envelhecidas e que não desempenham mais as funções corretamente por células novas, com a energia e a vitalidade de uma criança. Por isso, o resultado dos peelings é uma pele mais lisa, livre de manchas, com marcas de envelhecimento reduzidas e com aspecto jovial novamente. Mas esse processo não acontece da noite para o dia, é algo progressivo, por isso é necessário fazer algumas sessões de peelings superficiais para se obter a pele dos sonhos. Por outro lado, você pode fazer esse tratamento o ano todo e continuar desempenhando as suas atividades normalmente. Sem esquecer, é claro, do protetor solar :).

Ficou mais claro agora? Se surgirem mais dúvidas, não hesite em perguntar, e se ficou com vontade de fazer um peeling, procure um profissional de confiança. Não deixe para fazer amanhã o que você pode fazer hoje!!

Lucimara da Cunha
Cosmetóloga e engenheira química

Comentários

  1. Rosilene Miguel Rocha disse:

    Parabéns pelo o artigo publicado adorei tirou todas minhas dúvidas pois estou entrando na área agora.

  2. Daniela disse:

    Qual o tempo de um peeling para outro?

    1. Extratos da Terra disse:

      Oi Daniela,
      O tempo de uma sessão e outra vai depender muito da avaliação da pele que deve ser feita antes de iniciar o tratamento e também depende do tipo de protocolo utilizado. Normalmente as sessões são 1 vez por semana, mas como mencionado pode variar conforme o tipo de pele.
      Continuamos a disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *