Como eliminar estrias? A pergunta que não quer calar.

Cá entre nós, quem nunca quis dormir e acordar sem nenhuma estria na pele? Ou então, livrar-se para sempre, com num passe de mágica, da temida celulite? Por mais sedutor que isso possa parecer, não existem milagres quando falamos em tratamentos estéticos. Mas algumas técnicas podem ser bem promissoras e eficazes no combate às estrias e celulites.

As estrias, geralmente, são causadas pela perda e ganho de peso em curto espaço de tempo, o que faz com que a pele se estique e, em seguida, retorne ao seu tamanho normal muito rápido. Como todas as questões que envolvem o corpo humano, a prevenção será sempre o melhor remédio – mas alguns tratamentos e produtos podem te dar aquela “mãozinha”.

Associar as técnicas de acordo com a cor e o aspecto das estrias é o que garante a eliminação de até 80% delas. Interessada? Se você também quer se ver livre das estrias, confira as indicações abaixo com cinco métodos para eliminar de vez, ou ao menos suavizar, as marcas das estrias.

“Vale lembrar que alguns procedimentos não são indicados para gestantes, lactantes e para quem tem diabetes, hipertensão e problemas cutâneos. Procure sempre auxílio e indicação médica, antes de submeter-se a qualquer tratamento”.

1- Radiofrequência Fracionada – Essa tecnologia utiliza eletricidade através da Radiofrequência Subablativa Fracionada. A energia consegue penetrar de forma mais homogênea e profunda na pele, atuando na renovação até a derme, sem machucar muito a superfície, deixando a pele com uma textura mais lisa e firme. Esse procedimento pode ser utilizado em todo tipo de pele, independentemente da presença da melanina. Apresenta ótimos resultados, chegando a até 90% de eficácia, com baixo risco de complicações. O tratamento varia de três a cinco sessões, sendo realizada uma por mês. Contraindicado para grávidas.

2- Laser Ablativo Fracionado CO2 – O uso do laser pode ser dado em ambas as fases da estria: tanto avermelhada quanto branca. Na fase avermelhada, ele provoca fechamento dos pequenos vasos sanguíneos, estimulando a produção de colágeno, dando um aspecto mais natural à pele e diminuindo o tamanho das estrias. Quando está na fase esbranquiçada, ele também atua na formação de colágeno, mas aproximando as bordas da estria, preenchendo-as. Contraindicado para grávidas, pessoas em tratamento com isotretinoína, com herpes em atividade, pacientes com sensibilidade à luz (por exemplo: portadores de Lúpus e Pênfigo), pacientes em tratamento imunossupressor (como quimioterapia ou radioterapia), lesão pigmentar suspeita e com histórico de problemas de cicatrização (formação de queloides e hiperpigmentação). A quantidade de sessões é variável, sendo indicado até cinco mensais. Quando associado a outras terapias, como cremes à base de ácidos, seu resultado é potencializado e a chance de sucesso aumenta muito.

3- Subcisão – O que se realiza é a separação do tecido da pele na área afetada a partir do tecido mais profundo da estria, com uma agulha especifica. Com isso, o sangue e as células da coagulação e da cicatrização causam na área afetada uma cicatrização nova, para nivelar e deixar a pele mais homogênea. Torna-se mais eficiente se associada a outras técnicas.

4- Microdermabrasão ou Peeling de Cristal – Este tratamento tem como função eliminar a camada superficial da pele de uma forma suave, levando à regeneração das células na região. A pele será “lixada” através de cristais de óxido de alumínio. O número de sessões é variável – costuma-se realizar mensalmente, durante cinco meses.

5- Cremes com hidratante e ácidos, como o retinoico – Hidratantes com ácido retinoico são importantes para gerar colágeno e evitar estrias. Esses cremes funcionam como um complemento importante no tratamento, já que ajudam na hidratação e fazem com que a pele se renove mais rapidamente, estimulando a produção de novo colágeno. Associados aos demais tratamentos citados, tornam-se aliados importantíssimos na eliminação das estrias.

Comente com a gente: você já testou algum desses tratamentos? Utiliza cremes, como antiestrias, e está satisfeita com os resultados?

Fonte: entrevista com o médico Cristiano Ribeiro Velasco (Centro de Laser e Dermatologia do Hospital Daher/DF – Brasília) para o site M de Mulher.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *